A TEORIA SÓCIO HISTÓRICO CULTURAL NA AUTORIA DE NARRATIVAS DIGITAIS: :

  • Moisa Aparecida Silva
  • Eliana Alice Brochado
  • Gabriel Gerber Hornink

Resumo

Este trabalho apresenta uma reflexão sobre o processo de autoria de narrativas digitais sobre lugar e ambiente, traçando as possibilidades do software Scratch favorecer nesse processo. Dessa forma, tem como objetivo compreender as contribuições da teoria sócio histórico-cultural na construção, em pares, de narrativas digitais, por meio do software Scratch. O estudo foi realizado junto aos discentes do 6º ano de uma escola estadual no município de Campos Gerais – MG entre em dezembro de 2017 e janeiro de 2018. Trata-se de uma pesquisa participante, seguindo uma abordagem qualitativa com observação semiestruturada e jornal de pesquisa. Baseia-se, assim, a temática nas seguintes referências:  Vygotsky, Bakhtin e Moran. Há inicialmente uma fundamentação teórica com um diálogo sobre os principais conceitos da teoria sócio histórico–cultural, seguindo de uma reflexão sobre o processo de autoria de narrativas e como softwares podem dar sentido a isso e por fim uma breve ilustração e discussão dos trabalhos realizados até então. Logo, têm-se indícios que tratar de assuntos da práxis social dos alunos favorece a construção de textos originais, podendo o software Scratch ser um potencializador desse processo, beneficiando o aprendizado da língua materna e o desenvolvimento do pensamento criativo.

Biografia do Autor

Eliana Alice Brochado

Resumo:

Este trabalho apresenta uma reflexão sobre o processo de autoria de narrativas digitais sobre lugar e ambiente, traçando as possibilidades do software Scratch favorecer nesse processo. Dessa forma, tem como objetivo compreender as contribuições da teoria sócio histórico-cultural na construção, em pares, de narrativas digitais, por meio do software Scratch. O estudo foi realizado junto aos discentes do 6º ano de uma escola estadual no município de Campos Gerais – MG entre em dezembro de 2017 e janeiro de 2018. Trata-se de uma pesquisa participante, seguindo uma abordagem qualitativa com observação semiestruturada e jornal de pesquisa. Baseia-se, assim, a temática nas seguintes referências:  Vygotsky, Bakhtin e Moran. Há inicialmente uma fundamentação teórica com um diálogo sobre os principais conceitos da teoria sócio histórico–cultural, seguindo de uma reflexão sobre o processo de autoria de narrativas e como softwares podem dar sentido a isso e por fim uma breve ilustração e discussão dos trabalhos realizados até então. Logo, têm-se indícios que tratar de assuntos da práxis social dos alunos favorece a construção de textos originais, podendo o software Scratch ser um potencializador desse processo, beneficiando o aprendizado da língua materna e o desenvolvimento do pensamento criativo.

Gabriel Gerber Hornink

Resumo:

Este trabalho apresenta uma reflexão sobre o processo de autoria de narrativas digitais sobre lugar e ambiente, traçando as possibilidades do software Scratch favorecer nesse processo. Dessa forma, tem como objetivo compreender as contribuições da teoria sócio histórico-cultural na construção, em pares, de narrativas digitais, por meio do software Scratch. O estudo foi realizado junto aos discentes do 6º ano de uma escola estadual no município de Campos Gerais – MG entre em dezembro de 2017 e janeiro de 2018. Trata-se de uma pesquisa participante, seguindo uma abordagem qualitativa com observação semiestruturada e jornal de pesquisa. Baseia-se, assim, a temática nas seguintes referências:  Vygotsky, Bakhtin e Moran. Há inicialmente uma fundamentação teórica com um diálogo sobre os principais conceitos da teoria sócio histórico–cultural, seguindo de uma reflexão sobre o processo de autoria de narrativas e como softwares podem dar sentido a isso e por fim uma breve ilustração e discussão dos trabalhos realizados até então. Logo, têm-se indícios que tratar de assuntos da práxis social dos alunos favorece a construção de textos originais, podendo o software Scratch ser um potencializador desse processo, beneficiando o aprendizado da língua materna e o desenvolvimento do pensamento criativo.

Publicado
2018-05-21
Como Citar
APARECIDA SILVA, Moisa; ALICE BROCHADO, Eliana; GERBER HORNINK, Gabriel. A TEORIA SÓCIO HISTÓRICO CULTURAL NA AUTORIA DE NARRATIVAS DIGITAIS. CIET:EnPED, [S.l.], maio 2018. ISSN 2316-8722. Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2018/article/view/348>. Acesso em: 22 nov. 2019.
Seção
CIET:EnPED:2018 – Educação e Tecnologias: Aprendizagem e construção do conhecimento