EDUCAÇÃO APÓS AUSCHWITZ: : UM COMBATE À “CONSCIÊNCIA MAQUÍNICA”

  • Vinício Carrilho Martinez Universidade Federal de São Carlos UFSCar (UFSCar)
  • Vinícius Alves Scherch

Resumo

A consciência maquínica (GUATTARI, 1991) é um tipo especial de pensamento positivista, é um “pensamento positivo acerca da técnica”. Sem nenhuma consideração do “mal”, a consciência maquínica é um pensamento deslumbrado, formado à base da reificação em que pessoas e máquinas são iguais, são igualmente “coisas”. Neste processo de contínuo “desencantamento do mundo”, de racionalização progressiva e “civilizatória”, como bem salientou Adorno (1995), há momentos estupendos, como também vemos dos mais estúpidos. Com metodologia de abordagem indutiva e de pesquisa exploratória é apresentada a necessidade de repensar a educação como fonte de afirmação da emancipação, recuperação da crença (utopia para Adorno) na cultura da democracia inclusiva e de autonomia do ser (como queria Paulo Freire), para que só assim a humanidade se distancie de Auschwitz em sua versão modernizada e consiga atingir o mais elevado nível possível de consciência moral, senso de cidadania, reconhecimento dos direitos humanos. Enfim, requer-se uma educação integral e para a vida em todas as suas nuances, passando desde a concepção do ser ao desenvolvimento intelectual, técnico e político da pessoa humana.

Publicado
2018-05-29
Como Citar
MARTINEZ, Vinício Carrilho; SCHERCH, Vinícius Alves. EDUCAÇÃO APÓS AUSCHWITZ. CIET:EnPED, [S.l.], maio 2018. ISSN 2316-8722. Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2018/article/view/37>. Acesso em: 30 mar. 2020.
Seção
CIET:EnPED:2018 – Educação e Tecnologias: Pesquisa e produção de conhecimento