O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS COMO ATIVIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA

  • Paulo Roberto Sehnem
  • Rodrigo Schaefer

Resumo

Atualmente, oportunidades de comunicação despertam interesse em áreas como ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras. Trabalhos como os de Luna (1995), Sehnem (2006) e Luna e Sehnem (2013) mostram que o êxito do ensino e aprendizagem se deve às características e aos recursos da prática de ensino como atividade e apontam para a necessidade de um remodelamento ou reordenamento dos componentes dos cursos de línguas no Ensino Regular Básico. Consideramos que o uso da telecolaboração, definida por O’Dowd (2013) como o uso de ferramentas online para o desenvolvimento de habilidades linguísticas dos alunos, converge para o ensino de línguas como atividade.  Portanto, o objetivo desse estudo é apresentar uma lista de elementos que devem compor nossa proposta teórico-metodológica para o Ensino Regular Básico no próximo semestre, a saber: oportunidade de praticar oralmente a língua estrangeira; aprendizagem em conformidade com os interesses e necessidades dos alunos; e possibilidade de introduzir uma abordagem intercultural.

Publicado
2018-05-21
Como Citar
SEHNEM, Paulo Roberto; SCHAEFER, Rodrigo. O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS COMO ATIVIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA. CIET:EnPED, São Carlos, maio 2018. ISSN 2316-8722. Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2018/article/view/724>. Acesso em: 20 jun. 2024.
Seção
CIET:EnPED:2018 – Educação e Tecnologias: Docência e mediação pedagógica