EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA E A CONCEPÇÃO KUHNIANA: UMA QUEBRA DE PARADIGMAS

  • Luciana Fatima Narcizo
  • Ivo Dickmann

Resumo




Reconhecida e fundamentada como uma formação superior no ano de 2005, por meio de um documento elaborado pela Secretaria de Educação Superior - SESU, a educação à distância vem se constituindo ao longo dos anos, a partir de um novo viés metodológico e epistêmico de conhecimento. Além disso, sua efetivação no campo da educação apresenta-se como forma paradigmática para o avanço na inserção ao ensino superior. Sendo assim, buscou-se neste texto evidenciar a oferta da educação à distância como uma quebra de paradigmas no cenário da educação superior, fundamentando-se na obra A Estrutura das Revoluções Científicas de Thomas Kuhn (1962). Nesse sentido, utilizou-se da abordagem qualitativa, por meio de pesquisa bibliográfica e análise de conteúdo de Bardin (1979). Os resultados obtidos demonstram que a efetivação da EaD propõe a quebra de um paradigma acerca do ensino superior, conectado a um olhar renovado sobre as modalidades de ensino, atendendo as expectativas dos processos transformativos da sociedade, por meio de práticas pedagógicas que estão ligadas a novas metodologias e formas de produção de conhecimento.




Publicado
2020-08-28
Como Citar
NARCIZO, Luciana Fatima; DICKMANN, Ivo. EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA E A CONCEPÇÃO KUHNIANA: UMA QUEBRA DE PARADIGMAS. Anais do CIET:EnPED:2020 - (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias | Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância), São Carlos, ago. 2020. ISSN 2316-8722. Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2020/article/view/1022>. Acesso em: 21 abr. 2024.
Seção
CIET:EnPED:2020 - Epistemologia e Produção de conhecimento no contexto da Educação e Tecnologias