LIXO ELETRÔNICO NÃO É LIXO: UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ESCOLAR

  • Luana Balbino dos Santos
  • Bianca Ortiz
  • Fernanda Reiner
  • Nadine Tonelli
  • Alana Conceição da Silva

Resumo

O lixo eletrônico, ou E-lixo, é caracterizado como de alta periculosidade ao meio ambiente por apresentar em sua composição metais pesados, como: mercúrio, chumbo, cádmio, cobre, alumínio, entre outros, e seu descarte irregular causa impactos ao solo, fauna, flora e à saúde pública. No distrito de Xerém, município de Duque de Caxias, é comum o destino inadequado do e-lixo nos chamados “ferros-velhos”, o que expõe a perigo os trabalhadores desses lugares. Diante disso, a proposta considera os princípios estabelecidos pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10) e salienta a prevenção e a redução na geração de resíduos através de atividades em escolas municipais locais, buscando a maior conscientização da comunidade, além de estabelecer um ponto de coleta de lixo eletrônico para a confecção de materiais educacionais. As atividades incluíram oficinas e aplicação de formulários para 160 alunos, e identificou que existe o conhecimento sobre a necessidade de descarte correto, mas poucos cidadãos o fazem devido à falta de locais e procedimentos específicos para essa finalidade.

Publicado
2020-08-28
Como Citar
BALBINO DOS SANTOS, Luana et al. LIXO ELETRÔNICO NÃO É LIXO: UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ESCOLAR. Anais do CIET:EnPED:2020 - (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias | Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância), São Carlos, ago. 2020. ISSN 2316-8722. Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2020/article/view/1495>. Acesso em: 22 jun. 2024.
Seção
CIET:EnPED:2020 - Conteúdos educacionais – da produção à exibição