INTERAÇÃO EM CONTEXTO EAD: O MODELO DE ANÁLISE INTERACIONAL DE ANDERSON

  • Juliana Giseli da Silva Zancanaro

Resumo

A interação caracteriza-se como elemento imprescindível para o processo de ensinoaprendizagem. Para que ela ocorra em contexto pedagógico é necessário a presença de três elementos: aluno, professor e conteúdo. Esses três elementos, quando estão presentes em sala de aula para contribuir para que uma aprendizagem profunda e significativa ocorra, dão origem à seis tipos de interação: interação aluno-professor, aluno-conteúdo, aluno-aluno, professor-conteúdo, conteúdo-conteúdo e professorprofessor. Com o advento das tecnologias da informação e comunicação, pesquisadores do campo da Educação a Distância preocuparam-se em pesquisar a importância de garantir que diferentes tipos interacionais continuassem a existir nesse contexto e, para isso, alguns deles propuseram modelos de análise interacional. Este trabalho tem como objetivo apresentar um panorama da evolução do Modelo de Análise Interacional, que foi inicialmente proposto por Anderson e Garisson em 1998. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e apresenta as quatro fases da evolução do modelo inicial. O objetivo é possibilitar aos docentes que estão atuando em contexto pandêmico a oportunidade de visualizar como ocorrem os processos interacionais e sensibilizá-los quanto à sua importância.

Publicado
2020-08-28
Como Citar
ZANCANARO, Juliana Giseli da Silva. INTERAÇÃO EM CONTEXTO EAD: O MODELO DE ANÁLISE INTERACIONAL DE ANDERSON. Anais do CIET:EnPED:2020 - (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias | Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância), São Carlos, ago. 2020. ISSN 2316-8722. Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2020/article/view/1691>. Acesso em: 19 maio 2022.
Seção
CIET:EnPED:2020 - Ensino e aprendizagem por meio de/para o uso de TDIC