A ERA DOS PROTÓTIPOS: HETEROGENEIDADE E FLEXIBILIDADE NO TRATAMENTODAS HIPERMÍDIAS EM SALA DE AULA

  • Renata Ferreira Rios

Resumo

No contexto escolar, o processo de recepção e produção de hipermídias pode favorecer a polissemia interpretativa (CANCLINI, 2003) e desenvolvimento de letramento crítico (LUKE e FREEBODY, 1997) em uma realidade de interculturalidades híbridas. Neste trabalho verificamos a relevância da utilização de práticas pedagógicas flexíveis e de estrutura vazada (ROJO 2012) durante um processo de valorização da interlocução com os alunos, por meio da leitura e discussão de textos oriundos de diferentes áreas. Práticas como essas, que atendem às especificidades dos letramentos digitais, podem fazer emergir novas epistemes dos sujeitos que possuem vivências e culturas próprias diante da possível homogeneidade de discursos e consequente monologização das consciências, causadas por processos ininterruptos de padronização promovidos pela globalização (STREET, 2014). Palavras-chave: Ensino; Hipermídias; Heterogeneidade; Flexibilidade.

Publicado
2020-08-28
Como Citar
RIOS, Renata Ferreira. A ERA DOS PROTÓTIPOS: HETEROGENEIDADE E FLEXIBILIDADE NO TRATAMENTODAS HIPERMÍDIAS EM SALA DE AULA. Anais do CIET:EnPED:2020 - (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias | Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância), São Carlos, ago. 2020. ISSN 2316-8722. Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2020/article/view/1899>. Acesso em: 26 maio 2022.
Seção
CIET:EnPED:2020 - Ensino e aprendizagem por meio de/para o uso de TDIC